Moda

Moda: Contradição, Reflexão e Consciência

Quando entrei para a faculdade de moda, ninguém falava sobre moda sustentável e consumo consciente.

A maioria das pessoas não tinha conhecimento do assunto e, de lá pra cá, já se passaram mais ou menos 15 anos.

Durante esse período, fui conhecendo o mercado, trabalhando em lojas, marcas, showrooms, e mais, quando passei a conhecer praticamente toda cadeia do mercado, ao me tornar gerente de loja, gerente de e-commerce e analista de compras na saudosa Budha Khe Rhi.

Assim, o que eu vim contar pra vocês hoje, não é sobre minha formação e por onde passei, mas sim sobre o que tenho visto, sobre contradições, reflexão e tomada de consciência.

E tudo começa de dentro para fora, buscando informação, percebendo nossas ações do dia a dia e nossas preocupações com o meio ambiente e com todos que vivem nessa Terra linda, que tem recursos finitos.

Começamos assim: a indústria têxtil é responsável por ¼ dos microplásticos que são encontrados nos oceanos e é a QUARTA MAIS POLUENTE DO MUNDO, gastando 80 bilhões de m³ de água por ano – fonte Vogue Brasil, Agosto de 2019.

Esse é um dado atualizado pela cúpula do G7 (Grupo dos Sete), o qual é formado pelo grupo dos países mais industrializados do mundo, composto por: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

Agora, imaginem se há 15 anos atrás essas questões tivessem sido discutidas com maior seriedade por todos! Com certeza não teríamos chegado nesses números. Mas, como diz o ditado, tudo tem sua hora.

E a minha hora, a tomada de consciência, começou tímida, uns anos depois de morar sozinha, lá pelos meus 23, 24 anos. Nessa época, o mínimo que fazia era separar o lixo dentro da minha casa. E vocês acreditam que ainda hoje vejo pessoas descartando lixo seco nos containers de orgânico?
Enfim, voltando pra moda, separar lixo é um dever de todo cidadão! E indo mais a fundo, você já parou pra pensar quantos litros de água e quantos produtos químicos nossas roupas utilizam para serem fabricadas?

Para lavagem de UMA, sim, eu disse UMA calça jeans por exemplo, consome-se em média 11 mil litros de água! Vocês têm noção do que é isso?

O tecido de poliéster (um dos mais utilizados pelas Fast Fashions) tem como base o petróleo, um material não renovável e que causa danos ao meio ambiente em seu processo de extração. O trabalho escravo, ativo principalmente na China, Vietnã e Tailândia, é um outro problema social existente no mercado. Esses são pequenos exemplos utilizados aqui, para trazer à tona uma das palavras do título desse texto que é a CONTRADIÇÃO.
Sendo sincera demais com vocês, eu já pensei e repensei muitas vezes sobre minha formação, sobre os locais em que trabalhei e em 98% das vezes eu senti isso, a contradição do modo como eu tento levar minha vida, versus o que a indústria da moda oferece, tanto para quem precisa trabalhar, quanto para os consumidores finais.

As maiores contradições da minha vida foram relacionadas ao meu trabalho. Sempre ficava, e às vezes ainda fico pensando, como eu vou fazer alguma diferença nesse mundo, se eu preciso trabalhar dentro desse mercado? Pelo menos eu posso, então, melhorar a forma de consumir moda, e claro, trazer bons hábitos de consumo em geral, para dentro da minha casa. Depois fiquei pensando, como eu vou inserir isso na minha rotina de trabalho?

Hoje felizmente, com a informação rápida que se tem, podemos sim sermos os atores de mudanças nos nossos hábitos de vida, que por menores que pareçam, fazem diferença na vida de outras pessoas e do planeta!

E hoje, principalmente à frente da Look Finder com minha sócia Dai Werlang, estamos plantando sementes nas vidas de nossas clientes para que elas também façam parte dessas mudanças!
Nosso propósito fica cada dia mais claro quando conversamos sobre o impacto do nosso trabalho na vida dessas mulheres. Mesmo que, sutilmente, tentamos fazer com que elas pensem sobre a forma que consomem moda e porque consomem.

Queremos plantar  uma semente da contradição dentro das suas cabeças, porque a contradição leva à reflexão. E refletir, tentar entender todas essas questões, gera uma tomada de consciência absurda quando estamos dispostas!

Eis aqui, algumas perguntas que quero deixar pra vocês refletirem, com todo meu carinho e respeito a todas e todos que chegaram até aqui nesse longo texto!

        Você sabe onde suas roupas são fabricadas?

        Você olha a etiqueta de composição?

        Você sabe quais os tecidos que causam menores impactos ambientais?

        Você costuma trocar suas roupas com suas amigas ou conhece brechós na sua cidade?

        Você procura não consumir por consumir, só porque está na moda?

        Seu guarda roupa tem tudo que você precisa?

        Você consome de marcas sustentáveis ou locais?

Bem, teriam no mínimo mais umas 50 perguntas pra fazer, mas como não quero me estender ainda mais, se você respondeu sim para alguma dessas perguntas, eu preciso dizer: OBRIGADA!

E quero deixar aqui um pedido: CONTINUE!

Continue se informando, continue questionando, continue repensando pequenas ações.

Todos nós precisamos nos vestir, pois a vestimenta faz parte das nossas vidas!

Então, que o “vestir-se” seja de forma consciente e principalmente que faça sentido pra você!

 

Beijos,

 

Lica Haussen.

One thought on “Moda: Contradição, Reflexão e Consciência

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *